top of page
Buscar
  • Foto do escritorVinicius Alves

Whey Protein: além da hipertrofia


O whey protein é um dos suplementos mais conhecidos e utilizados atualmente, principalmente nas academias por indivíduos que querem ganhar massa muscular. Mas será que este suplemento possui outras aplicabilidades além dos esportes?


Sabe-se que whey protein é um suplemento concentrado em proteínas do soro do leite, ou seja, proteínas de alta qualidade e grande quantidade de aminoácidos importantes para o desenvolvimento dos músculos. Normalmente é utilizado por pessoas que buscam aumentar a ingestão proteica, além de facilitar a ingestão de proteínas por ser mais fácil e prático que realizar uma refeição sólida em determinados momentos. Porém, recentemente diversos estudos foram feitos com o objetivo de analisar em quais outros campos o whey protein pode ser aplicado e quais outros papéis ele pode ter no organismo. Alguns estudos verificaram que pode ele pode ter papel importante na melhora da glicemia, auxílio no emagrecimento e na atenuação da perda muscular em idosos (sarcopenia).


Por exemplo, em indivíduos com diabetes tipo 2, o organismo possui dificuldade em controlar os níveis sanguíneos de glicose por conta de um prejuízo na ação e/ou na produção da insulina, neste caso, o whey protein, por possuir aminoácidos insulinotrópicos, é capaz de estimular a insulina com grande magnitude, o que colabora para uma maior captação de glicose pelos tecidos, auxiliando no controle da glicemia.


Além disso, por ser rico em proteínas, o whey protein pode aumentar a secreção de peptídeos que aumentam a saciedade através de ação no hipotálamo, como GLP-1 (peptídeo semelhante ao glucagon 1), CCK (colecistoquinina), PYY (peptídeo YY) e GIP (peptídeo insulinotrópico dependente de glicose). Outrossim, estas proteínas podem diminuir a produção de hormônios responsáveis pelo aumento da fome, como a grelina, além de atrasarem o esvaziamento gástrico. Ademais, o whey protein é rico em aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs), especialmente em leucina, o que pode colaborar ainda mais para o aumento da saciedade. Com base nestes dados, alguns estudos sugerem que após a ingestão deste suplemento a ingestão de energia diminui nas refeições subsequentes, facilitando assim, uma diminuição da ingestão calórica total e colaborando para o emagrecimento.


Doravante, sabe-se que ocorre um aumento da perda muscular com o avanço da idade e que, por isso, idosos devem consumir maiores quantidades de proteína. Sendo assim, a utilização de suplementos proteicos, como o whey, pode facilitar a ingestão proteica, colaborando para a manutenção da massa muscular em idosos. Além disso, muitos idosos podem ter dificuldade em ingerir alimentos fontes de proteína, como carnes, por conta de dificuldades na mastigação, desta forma, a administração deste suplemento pode facilitar a ingestão proteica por poder ser ingerido na forma líquida e proporcionar um grande aporte proteico.


Finalmente, este suplemento proteico pode ter aplicabilidade em hospitais. Em indivíduos que, por conta de acidentes, cirurgias ou quaisquer outros motivos, possuem risco de desnutrição proteica, o whey protein pode facilitar a ingestão de proteínas e colaborar para a preservação da massa muscular.


De qualquer forma, orienta-se a consulta prévia com nutricionista para verificar a real necessidade e a maneira correta de utilização deste suplemento.


Referências

ANDERSON, G. Harvey; MOORE, Shannon E. Dietary proteins in the regulation of food intake and body weight in humans. The Journal of nutrition, v.134, n. 4, p. 974S-979S, 2004.


MOBLEY, C. Brooks et al. Comparative effects of whey protein versus L-leucine on skeletal muscle protein synthesis and markers of ribosome biogenesis following resistance exercise. Amino Acids, v. 48, n. 3, p. 733-750, 2016.


22 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page