top of page
Buscar
  • Foto do escritorVinicius Alves

10 benefícios da creatina além da hipertrofia muscular


A creatina é um dos suplementos com maior respaldo científico em relação aos seus efeitos ergogênicos. As doses, protocolos e mecanismos de ação no ambiente esportivo já estão bem elucidados e não restam dúvidas quanto à sua eficácia, oriunda do aumento dos estoques de creatina e fosfocreatina na musculatura esquelética, melhorando a performance em exercícios de alta intensidade e, contribuindo assim, para aumento da massa muscular.


Essa substância tem um importante papel no metabolismo de energia das células musculares e cerebrais, tanto em condições fisiológicas quanto patológicas, em jovens e adultos. Apesar de ser produzida pelo próprio organismo, existem condições em que a síntese endógena não acontece adequadamente ou os níveis intracelulares podem estar diminuídos. Outras nas quais a necessidade de creatina pode estar aumentada devido à maior demanda de energia. E ainda aquelas em que, níveis maiores de creatina possivelmente melhoram as respostas celulares, visto que têm sido descobertas suas propriedades não relacionadas à produção de energia: aumento da diferenciação de neurônios, efeitos antioxidantes e anti inflamatórios e diminuição dos níveis circulantes de homocisteína, composto que em níveis elevados é fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.


O aumento da expectativa de vida fez com que muitos estudos passassem a se debruçar na descoberta de fármacos e nutrientes que pudessem diminuir os declínios das funções muscular e cerebral causados pelo envelhecimento. A suplementação da creatina, com ou sem prática física concomitante, se mostrou como uma alternativa que aumenta a massa corporal, melhora a resistência à fadiga, aumenta a força muscular e melhora a performance de atividades diárias em indivíduos idosos. Apesar de serem observados resultados sem a realização de exercícios físicos, quando o treino resistido é adicionado à rotina, todos esses resultados são potencializados, sendo observado também um aumento da densidade óssea.


O uso em casos de miopatias, doenças neurodegenerativas, distúrbios metabólicos e doenças inflamatórias tem sido cada vez mais investigado, e apesar de ainda não haver consenso em relação às doses, sua segurança já está estabelecida e os resultados são promissores.


A suplementação de creatina é ainda um possível adjuvante na melhora da performance neuropsicológica, com efeitos positivos na potencialização e recuperação de processos cognitivos e em estados depressivos. Baixos níveis cerebrais de creatina se correlacionam com a severidade dos sintomas da depressão e a adição de seu uso ao tratamento com antidepressivos parece potencializar a melhora clínica de pacientes com depressão, especialmente as mulheres. Além disso, prejuízos na cognição relacionados tanto ao envelhecimento quanto à condições de fadiga mental podem ser melhorados com aumento dos níveis de creatina no cérebro.


Os efeitos antioxidantes, anti inflamatórios e de redução dos níveis de homocisteína têm encorajado pesquisas no sentido de descobrir os potenciais da creatina na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares em pessoas com risco elevado para essas condições. Um aumento na densidade da microvasculatura e do seu tônus, além de efeitos benéficos na conformação e funcionamento das células endoteliais, que formam os vasos sanguíneos, são propriedades da creatina que empolgam os cientistas em relação à multiplicidade de uso desse suplemento para além das fronteiras das academias.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Rawson, E. S., & Venezia, A. C. (2011). Use of creatine in the elderly and evidence for effects on cognitive function in young and old. Amino Acids, 40(5), 1349–1362. doi:10.1007/s00726-011-0855-9

Balestrino, M., & Adriano, E. (2019). Beyond sports: Efficacy and safety of creatine supplementation in pathological or paraphysiological conditions of brain and muscle. Medicinal Research Reviews. doi:10.1002/med.21590

Clarke, H., Kim, D.-H., Meza, C. A., Ormsbee, M. J., & Hickner, R. C. (2020). The Evolving Applications of Creatine Supplementation: Could Creatine Improve Vascular Health? Nutrients, 12(9), 2834. doi:10.3390/nu12092834


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page